explosao_sentidosexplosao_sentidos

Branding Sensorial - Como vive? Onde habita? Do que se alimenta?

Branding Sensorial pode ser definido como “o conjunto de percepções sensoriais que envolvem uma marca”. Quando uma marca consegue criar uma sinergia entre os diferentes sentidos, ela se torna forte e memorável na mente do consumidor. A massificação do conteúdo publicitário, em jingles, anúncios, luminosos, revistas, etc, fez com que as novas gerações desenvolvessem a capacidade de filtrar o conteúdo do que é divulgado, racionalizando – quase ao nível máximo - sua decisão de compra. Esse filtro tornou o formato de publicidade conhecido menos efetivo – e em alguns ramos completamente ineficaz – o que fez com que as empresas voltassem sua atenção para práticas que envolvessem o consumidor, causando uma lembrança positiva e duradoura de forma sutil e eficaz.

Os novos decisores de compra

Não bastam, para as novas gerações de consumidores, apenas letreiros com verbos no infinitivo: compre agora, ligue já, venha conhecer. Os novos decisores de compra desejam uma ligação emocional com as marcas. Mais do que adquirir e usar um produto, elas levantam bandeiras. Assim, a ativação dos cinco sentidos para a lembrança da marca agrega e organiza informações para compor o valor desta marca, desta bandeira. Essas informações ajudam no processo de desconstrução da marca, entendendo assim sua essência e a importância dos seus valores para compor o seu brand equity, ou o conjunto de valor agregado à marca que proporciona valor percebido. Brand Equity é o conceito que traz valor a marca, distanciando cada vez mais a decisão de compra da tangibilidade do preço, tornando-a emotiva. As pessoas pagam por experiências e sabem que elas não tem preço.

Gerenciar esse conjunto de valores não é simples, ainda mais quando eles já existem de forma não integrada com o propósito da marca, ou até com outros ativos - como o da visão, na forma de um logotipo, por exemplo. A melhor forma de gerir a marca é basear-se no seu propósito e reconstruir todos os ativos sensoriais. Sentir a marca é a premissa principal. E fica mais fácil sentir o que tem alma, ou seja, propósito. O objetivo não é somente para passar a mensagem da marca, mas criar um relacionamento com o consumidor.

A grande dica: pertencimento

Uma marca deve causar uma sensação de pertencimento, através de uma visão clara de sua alma. A partir daí começamos a contar uma história, criar um relacionamento entre consumidor e marca. Quase como um namoro, onde ambos se envolvem baseados nos mesmos interesses humanos. São aromas, músicas, sabores, sensações e principalmente ideais em comum que levam a uma dança sensorial , gerando lembrança e engajamento.

Fazer branding sensorial é um passo além para a vida da marca. É aquele momento em que sua marca deixa de ser uma em um milhão e passa a ser referência dentro de seu segmento. Muitos profissionais falam em ‘construção’ de marca. Na GRAZ, acreditamos em ‘tradução de valores’.
Sua marca com certeza já tem tudo para ter um branding sensorial, basta apenas nos deixar traduzir o que você faz com alma.