Globaliza Brasil destaca cultura da internacionalização

Evento enfatizou oportunidades, investimentos e formas de negociação com o mercado externo.

CLIENTE
GLOBALIZA BRASIL

A 1ª Edição do Globaliza Brasil, realizada na última terça-feira (24), na sala vermelha do teatro da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), reuniu mais de 100 pessoas em um evento que teve como objetivo ampliar os horizontes da comunidade e empresas brasileiras para a necessidade, cada vez mais urgente, da cultura da internacionalização.

O encontro, que fez parte da Semana de Negócios Internacionais, trouxe para dentro da universidade dois palestrantes. Henrique Reis, do CTC (Grupo China Trade Center), e Luciana Ie, do Taitra (Taiwan Trade Center SP), países que cotidianamente promovem missões diplomáticas ao Brasil na busca por oportunidades e investimentos.

Segundo um dos organizadores, Mário Polis, da EMME Consultoria em Negócios Internacionais, a edição inicial do Globaliza Brasil sugeriu uma nova reflexão a estudantes e empresários. “Muita gente ainda acredita que hoje é como no passado, em que nosso País só recebia lançamentos e investimentos muito tempo depois de outras partes do mundo. Esse tipo de pensamento está impregnado nas pessoas, nos negócios, mas não é o que acontece mais. Por isso, precisamos falar e estimular a globalização”, afirma.

Polis ressalta que poucas empresas no Brasil atual nascem já pensando em importar e exportar. “Acham que é coisa de empresa grande, quando, na verdade, é mais simples do que parece. A globalização está conectada com nossa sociedade, muito mais próxima hoje, e é importante entender como outros países estão olhando para nosso mercado”.

Durante mais de duas horas, palestrantes e público puderam trocar ideias e estreitar relações. Do lado chinês, ficou clara a boa aceitação e necessidade das empresas orientais com produtos da área de alimentação saudável, assim como Taiwan demonstrou interesse no setor de recursos naturais brasileiro.

INFORMAÇÃO.

O diretor comercial da GRAZ, André Coalla, falou sobre as expectativas alcançadas. “Estamos muito felizes. Quando alguém abre uma empresa, pensa em vender para sua rua, para o bairro, cidade ou estado no máximo, não sabe que tem muita gente de fora interessada nos produtos nacionais. O Globaliza Brasil é um caminho para fazer isso acontecer. Poder levar informação e conhecimento, mostrar como o mundo é grande e deve ser explorado, são ideais que fazem 100% parte dos fundamentos da GRAZ”.
Prova de sucesso, o encontro foi finalizado com diversas negociações em pauta e muitas empresas querendo saber como exportar seus produtos. 
Uma nova edição do evento já está programada para setembro de 2020. Antes disso, em novembro, acontece um fórum sobre o tema: “O papel da mulher no mercado exterior”. Data e local ainda serão divulgados.

Globaliza Brasil teve como apoiadores as empresas: EMME - Consultoria em Negócios Internacionais, GRAZ design e Curso de Graduação em Negócios Internacionais da Unimep.

REDAÇÃO GRAZ | FOTOS Kauré Foschini Santarosa